Sobre o pensar.

Talvez seja ansiedade uma boa palavra pra definir. Não uma ansiedade direcionada à espera de algo certo, mas ligada ao desejo de saber como será. Os olhos fechados buscam o sonho, ainda que se esteja acordado.

Ao mesmo tempo que se constrói, se destrói. A incerteza gera expectativas que a razão desmonta; não digo que as expectativas são sempre boas nem sempre ruins, mas simplesmente o pensamento resultante do pouco certo aliado ao que pode ser medo ou esperança.

Ora dedutiva, ora indutiva, a mente perambula entre fatos e devaneios. Sempre inconclusivo, torna-se estonteante o simples ato de pensar. A vontade é abandonar esse carrossel. Mas os passos titubeiam ao ver o sonho distanciar-se; porque ir no sentido contrário se a vontade real é chegar mais perto? Afastar-se somente pela segurança, talvez receio em acreditar no que soa como sonho? Iludir-se ou tomar para si a possibilidade de realizar um sentimento?

Anúncios